Que bom vê-lo por aqui!

Conhecer, informar, debater, aprofundar, criticar e sugerir é o objetivo do Alfabetiz...Ação em Foco.

É um espaço multicultural onde prevalece o pluralismo de idéias e interesses, mas que carrega em si o desejo de contribuir,
através da educação, com a construção de uma sociedade diferenciada da que estamos vivenciando,
com mais amor entre os seres, mais justiça, prevalecimento da verdade em todas as circunstâncias,
ausência de preconceitos (gênero, raça, condição social, personalidade), enfim, com
RESPEITO A VIDA!

Obrigada pelo seu voto!

domingo, 24 de agosto de 2008

Intervenção Pedagógica na leitura e na escrita

Atividade interativa de leitura






Montando coletivamente o texto-música "O pato pateta", V. Moraes.

  1. A música foi apresentada no blocão e lida sem melodia, como um texto poético. Após a leitura coletiva com apontamento do professor, fonema a fonema, sugeriu-se outra atividade (ciências - as aves), que poderia ser qualquer outra diferente do foco da leitura,
  2. No dia seguinte, retomou-se a releitura do texto e desta vez com uma cópia para os alunos. Foi sugerida a leitura "com o dedinho",
  3. Em seguida, como a turma já reconhece a maioria dos fonemas e grafemas da nossa língua, foi solicitado que identificassem palavras-chave no texto (pato/ pateta/ caneco/ marreco/ galinha/ panela) - que fica a escolha do professor,
  4. Cada palavra encontrada (mesmo repetidas) deveria ser pintada de uma cor diferente: todas as palavras pato de amarelo, por exemplo, (...)
  5. Foi solicitado que os alunos desenhassem essas palavras e escrevessem os seus nomes. Esta atividade deve ser organizada de acordo com o nível dos alunos. Em caso de alunos pouco avançados no processo de leitura e escrita, é melhor que eles apenas desenhem o que acontece na história, e escrevam apenas uma ou duas palavras,
  6. No terceiro dia, destacou-se a parte da história que a turma mais gostou (através da releitura do blocão afixado na sala). Fez-se a reescrita coletiva em outro blocão.
  7. No dia seguinte, distribuiu-se o trecho escolhido para os alunos (xerocopiados) sugerindo-lhe que lesse em casa com ajuda de alguém. Seguiu-se o dia com outras atividades,
  8. No quinto dia, fez-se nova leitura do trecho escolhido e sugeriu-se a montagem coletiva do texto embaralhado por frases. Importante que neste momento o texto no blocão esteja coberto com alguma folha de papel (pardo, por exemplo). Após a montagem coletiva, retira-se as frases do quadro e as coloca em algum lugar da sala para posterior leitura, mas é preciso cobrí-las no momento da montagem individual (pelos alunos). Uma boa sugestão é colar atrás da porta, pois é fácil escondê-las e mostrá-las de acordo com a necessidade,
  9. Trabalha-se as frases de diversas maneiras: leitura para desenho, escrita a partir do desenho, completar lacunas usando banco de palavras, significado, ligar frases aos desenhos, montagem de cenas para escrita das frases, e tudo o que a criatividade do professor puder imaginar,
  10. Na semana seguinte, prepara-se para o trabalho de montagem textual (do trecho escolhido) por palavras. Esta etapa requer muito cuidado, pois os alunos necessitam de intervenção adequada aos seus níveis de aprendizagem. Não adianta fazer o mesmo tipo de pergunta a um aluno alfabético e um silábico na tentativa de ajudá-los. É interessante que este trabalho seja realizado com um grupo de cada vez (um por dia). Os grupos que trabalham com autonomia poderão fazer juntos e depois será oferecido a eles outras atividades relacionadas.
  11. As atividades que seguem esta atividade devem ser variadas: classificação entre sons, quantidade de letras e silábas, que começam com a mesma letra ou que terminem; liga palavras aos desenhos; desembaralhar palavras para montar frases (por escrito); montar palavras usando letras móveis; estabelecer relações entre as palavras e os nomes da turma; ditado recortado de silábas, letras; escrita da história com apoio do blocão; identificação de fonemas (pinte, ou envolva a silába "pa"); etc.
  12. A construção de um vocabulário (ou banco de palavras) é muito importante para o estabelecimento de relações entre fonemas e grafemas da nossa língua: o mesmo "pa" de pato pode servir para escrever padaria, por exemplo. Será melhor ainda se o vocabulário for construído coletivamente - divide-se a palavra-chave em silábas (junto com o aluno) e pergunta que outras palavras eles conhecem que comecem (ou terminem - uma categoria por vez) com as silábas da palavra e vai escrevendo no blocão para afixar na sala. Pode-se ainda, tomar a palavra escrita inteira, evidenciar algum fonema e relacionar com os nomes (e sobrenomes) que há na turma:

PATO


PATRICIA
PAIVA
PAMELA
PASCOAL


ou


PATO


RENATO
TORQUATO
SAPATO
CAMPEONATO

A reescrita textual de memória deve fazer parte do planejamento, pois é o momento de consolidação do que se está aprendendo. A partir daí, pode-se cantar a música, fazer uma dramatização e inventar!



Um comentário:

  1. Val, esse tipo de atividade é maravilhosa. Sou muito agradecida a você, por ter partilhado comigo essa riqueza de trabalho. O resultado é fantástico! Obrigada e um beijo grande.

    ResponderExcluir

Obrigada por nos visitar. Escreva aqui sua crítica ou sugestão.

Licença Creative Commons
Alfabetiz...Ação em Foco de Prof. Valéria Rosa Poubell é licenciado sob uma Licença Creative Commons Atribuição-Uso não-comercial-Compartilhamento pela mesma licença 3.0 Brasil.
Permissions beyond the scope of this license may be available at http://www.vrpoubell.wordpress.com.

Assinantes ativos